Baleila: novo trabalho da Cobaia Cênica

Espetáculo de Contação de Histórias, com roda de conversa, livremente inspirado no livro "Leila" de Tino Freitas

Baleila é um espetáculo de contação de histórias, livremente inspirado no livro Leila de Tino Freitas.


No elenco estão Samuel Paes de Luna e Sidinéia Köpp. A direção é por conta de Thiago Becker


Tudo começa quando dois atores se encontram pra contar uma história.

De maneira lúdica vão construindo o cenário onde a trama acontece.

A historia vai se transformando até o assédio acontecer do fundo do mar. E tudo muda. Para reconstruir é preciso paciência, delicadeza e amor.

Ao final da apresentação, o grupo convida o público para um debate sobre o espetáculo e também sobre a temática do abuso, acreditando sempre que é preciso acordar para o poder da voz.


Por que mergulhar nessa história?


O abuso e a exploração sexual infanto juvenil é uma das tragédias mais cruéis e violentas da nossa sociedade. Infelizmente é uma situação bastante recorrente com crianças e adolescentes, embora muitos adultos e idosos também sofram esse tipo de violência.


São diversas as campanhas e programas de combate a esse problema promovidas pelas mais diversas instituições sociais. Segundo dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), nos cinco meses de 2022 já foram registradas 4.486 denúncias de violações de direitos humanos contra essa população e 18,6% estão ligadas a situações de violência sexual. Por esse motivo, foi instituído o 18 de maio como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, pela Lei Federal 9.970/00, com o objetivo de conscientizar e incentivar denúncias.


Um levantamento da pasta, feito em 2021, mostrou que dos 18.681 registros, em quase 60% dos registros, a vítima tinha entre 10 e 17 anos e cerca de 74%, a violação era contra meninas.


Os dados também apontaram que em 8.494 dos casos, a vítima e o suspeito moravam na mesma residência. Outros 3.330 casos aconteceram na casa da vítima e 3.098 na casa do suspeito.


Entre os suspeitos, em 2.617 dos casos estavam o padrasto e a madrasta, 2.443 o pai e em 2.044 denúncias, a mãe era acusada.


Fonte: https://www.cnnbrasil.com.br/nacional/2022-tem-4-486-denuncias-de-abuso-infantil-maioria-dos-casos-acontece-com-meninas/



Entretanto, acreditamos que através da arte, do teatro e da poesia conseguimos alcançar os corações das pessoas e sensibilizá-las de maneira contundente, acolhedora e eficaz. Com o intuito de ressignificar as dores provocadas por uma situação tão complexa e violenta, buscamos, através da encenação de Baleila, sensibilizar as pessoas a melhor acolherem quem vive uma experiência traumática como essa e também encorajar aquelas que ainda não conseguem denunciar seus abusadores. Levamos para a roda de conversa alguns casos de conhecimento geral, divulgados na grande mídia, como exemplos para complementar a discussão, assim como depoimentos de espectadores de apresentações anteriores.

Em concordância com o Plano Nacional da Primeira Infância, buscamos, através dessa intervenção teatral, nos alinhar com as diretrizes de integridade, da saúde mental e da educação da criança na primeira infância. Além disso, queremos proporcionar uma experiência artística, aproximando essa população dos equipamentos e vivências culturais de sua cidade, que é um dos objetivos do Plano Nacional de Cultura.



Roda de Conversa

Ao final da apresentação, convidamos o público para um diálogo sobre o que acabamos de apresentar, com o intuito de debater, refletir e encontrar, juntos, maneiras de lidar com a situação. A ideia é que, durante a roda de conversa, os atores se coloquem muito mais numa posição de escuta e acolhimento das falas vindas do público.





Maio Laranja




Ficha Técnica

Dramaturgia: Samuel Paes de Luna e Sidinéia Köpp

Direção: Thiago Becker

Elenco: Samuel Paes de Luna e Sidinéia Köpp

Sonoplastia e Iluminação: Thiago Becker

Figurinos e Maquiagem: Samuel Paes de Luna e Sidinéia Köpp

Cenografia: Samuel Paes de Luna e Sidinéia Köpp

Pintura Cenográfica: Xúlia Mattos

Identidade Visual: Thiago Becker

Realização e Produção: Cia Cobaia Cênica



4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo