O Aurélio Sumiu! E Agora?

Uma experiência artística criativa para bibliotecas


A atividade propõe uma vivência teatral, literária e de criação, dentro da biblioteca, para o público infanto-juvenil alfabetizado.



Um ator interage com o público, contando uma história que utiliza elementos comuns de um acervo de livros, tendo como personagens principais uma traça, um cupim e um dicionário. A trama conta sobre o sumiço do dicionário Aurélio e que por isso as pessoas estão esquecendo o significado das coisas. E agora, como continuar vivendo sem saber o que significa amor, amizade, família, esperança, honestidade, etc...?


A relação entre o artista e os espectadores é construída por meio de provocações que colocam todos em posição ativa, seja na imaginação ou na ação concreta da fala, escrita ou através do desenho. A ideia é estimular os participantes a contarem, escreverem e/ou ilustrarem suas próprias histórias. Isso tudo, deixando com que eles escolham a forma de expressão que mais se identificam e se sentem à vontade, buscando respeitar as individualidades de cada um. Inclusive, durante a atividade, há o momento em que todos recebem um material para produzirem seus próprios conteúdos literários, a partir do que vivenciaram da história contada pelo ator.



O principal objetivo é trazer as crianças e jovens para dentro da biblioteca, fazendo-os ocupar e utilizar esse espaço tão importante para a formação humana. É também abordar a importância do livro, da leitura e da literatura para construção da nossa cidadania. Além disso, proporcionar também uma experiência divertida e de construção de algo de que eles se orgulhem e queiram compartilhar. Ao final da atividade, os participantes levam para casa suas produções literárias



Oficina de criação de textos beneficia 525 alunos de 10 instituições de ensino


Foram 14 encontros, incluindo contação de história, desenho, escrita e leitura. Os estudantes eram incentivados a dar um final feliz (ou não) para a história envolvendo o senhor Aurélio, o jovem Cupim e a dona Traça, que estavam desesperados após o sumiço do dicionário que havia na biblioteca.




Instituições participantes: EEB Deputado João Custódio da Luz, EEB Paulo Zimmermann, EEB Alfredo Dalfovo, EEB Professor Henrique da Silva Fontes, Centro de Educação de Jovens e Adultos, Escola Modelo Ella Kurth, Escola Adventista, Instituto Maria Auxiliadora e Escolinha de Artes e Despertarte da Fundação Cultural.




Esse é o resultado de um projeto realizado pelo Governo do Estado de Santa Catarina, por meio da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), com recursos do Prêmio Elisabete Anderle de Apoio à Cultura, Patrimônio e Paisagem Cultural - Edição 2021.





Mais fotos: fundacaocultural.art.br/category/imagens/

#riodosul #fundaçãocultural #fundaçãculturalriodosul #incentivoàleitura #leitura #biblioteca #elisabeteanderle #elisabeteanderle2021


2 visualizações0 comentário