Sem Ar|Te Digo Que Não Vives

Já imaginaram uma pandemia inteira sem qualquer possibilidade de vivenciar uma experiência artística? Como sobreviveríamos? Sobreviveríamos?


Esse último ano tem sido ainda mais difícil, ainda mais desafiador. Estamos dilacerados com tantas perdas, tantas falhas, negligências, com tanta desumanidade. Nosso fôlego e nossa vontade de continuar seguindo, resistindo, parecem que vão acabar. E querem mesmo que acabe. Mas não. Não! A força e a matéria da qual somos feitos não se deixa calar, apagar, sucumbir. O brilho, o som, as cores da nossa voz, dos nossos corpos, das nossas ideias, da nossa presença e da nossa poesia são perpétuos. A arte é o nosso oxigênio, é a vida pura que nos move a cada dia. É o nosso combustível, nossa mola propulsora. É o material com o qual esculpimos nossas histórias e levamos alento, entretenimento, reflexão, encantamento, bem estar, diversão, aconchego ao espírito. A ARTE! E é com ela e por ela que queremos e vamos cuidar desse mundo doente. Acreditamos profundamente no poder que nossa arte tem de salvar as pessoas.

Depois da medicina, o que tem nos sustentando emocionalmente, nesse período de dor, confinamento e distanciamento social, é a possibilidade da experiência e o contato com as obras de arte, seja por meio de livros, música, teatro, cinema, artes visuais, mesmo que através de plataformas digitais.


Agora, mais do que nunca, nós artistas somos necessários, embora muitos ainda nos desvalozirem e nos tratem como necessitados. Fomos a classe mais afetada e ainda estamos impossibilitados de retomar nossas atividades presenciais, que dependem de aglomeração. Isso significa um grande buraco nas nossas finanças. Artista come e paga contas.


Apesar desse contexto inteiramente contrário a nossa existência, seguimos respirando, dando nossos gritos e guerreando com as armas que acreditamos: a arte e a poesia. Pensando e vivenciando tudo isso, sentimos uma necessidade ainda maior de criar e nos expressar, através de uma obra de arte. Foi daí que surgiu a ideia de montar uma experiência artística virtual e nasceu Sem Ar|Te Digo Que Não Vives.

O projeto, dirigido, roteirizado e editado por Thiago Becker, foi contemplado no Prêmio Nodgi Pellizzetti de Incentivo à Cultura 2020. Começamos os ensaios em janeiro de 2021, através da plataforma zoom, e montamos tudo até maio do mesmo ano. Nesse último fim de semana (de 09 a 12 de julho), tivemos uma grande maratona de gravações num estúdio montado na sede da Cobaia Cênica e também em ambientes externos da cidade de Rio do Sul. Foram dias de muito trabalho, construção, aprendizado que nos deixaram muito exaustos e igualmente felizes e orgulhosos. Logo logo o material editado ficará pronto e faremos o devido lançamento e as divulgações.

Essa experiência é uma homenagem aos artistas e uma exaltação a arte e sua grande importância na vida de todos nós.

Precisamos agradecer a toda nossa equipe pelo empenho, paciência e dedicação. E também aos nossos apoiadores LM Café e Restaurante, Recanto do Sombra e Quiosque Bremer que fizeram a alegria dos nossos almoços nesses dias de gravação.

Gratidão a todos!


Seguimos vivos, respirando e acreditando no valor e poder de nossa ARTE!


Cia Cobaia Cênica

Rio do Sul, Julho de 2021


#teatro #teatroonline #teatronapandemia #cobaiacenica #semartedigoquenaovives #artescenicas #audiovisual #artes #riodosul #santacatarina

23 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo