QUEM SOMOS

Ser cobaia da arte! A partir dessa vontade coletiva, no ano de 2010 surgiu a Cia Artística Cobaia Cênica, que tinha como foco principal estudo, pesquisa e experimentações do fazer teatral. O grupo surgiu dentro dos portões da Fundação Cultural de Rio do Sul, e com apoio da instituição realizou a sua primeira montagem: Contos de Amor e Morte, de Nelson Rodrigues, dirigido por Kaio Bergamim. Em 2011 surge a primeira peça autoral, o teatro de revista Ensaios Sobre a Vida, também com direção de Kaio Bergamim. Ainda ligada à Fundação Cultural, o grupo montou o espetáculo musical Santo de Casa Não faz Milagres, com texto e direção de Ana Cristina Gaebler, que ficou em repertório por dois anos (2014 e 2015).

No ano de 2015, com o lançamento do 1º edital de incentivo à cultura da cidade de Rio do Sul, a Cobaia Cênica ganha asas e torna-se uma companhia independente, a partir da montagem do espetáculo imPERFEIÇÃO(texto e direção de Ana Cristina Gaebler), que foi contemplada pelo Prêmio Nodgi Pellizzetti de Incentivo à Cultura. Em sua concepção o espetáculo busca integração de linguagens, trazendo à cena, além do teatro, dança e audiovisual. Para a criação da trilha sonora, o compositor Rodrigo Fronza participou de todas as etapas de criação e montagem, trazendo para as músicas do espetáculo as sensações experimentadas pela personagem Luiza. No ano de 2016 a trilha sonora do espetáculo foi contemplada pelo Prêmio Nodgi Pellizzetti de Incentivo à Cultura com a gravação em CD. Neste mesmo projeto foi contemplado o workshop Trilhas Sonoras, direcionado para músicos e com objetivo de capacitá-los para o mercado de criação de trilhas sonoras, dada a escassez desses profissionais.

Ainda no ano de 2016 mais uma montagem foi contemplada pelo Prêmio. Benjamim, filho da felicidade. Com texto e atuação de Thiago Becker, o projeto faz uma parceria com o diretor carioca Ricardo Rocha. A trilha sonora é composta novamente por Rodrigo Fronza, a partir da participação no processo criativo e de montagem.

Em 2018 iniciou-se o processo de montagem do espetáculo “o que só passarinho entende”, da dramaturga carioca Agatha Duarte, baseado no conto Totonha de Marcelino Freire e inspirado na obra de Manoel de Barros, direção de Thiago Becker e trilha sonora de Rodrigo Fronza. O espetáculo estreou em outubro de 2018 encerrando a programação da Feira do Livro de Rio do Sul. Logo após temporada de estreia o espetáculo é apresentado no Festival do Teatro Nacional de Recife como convidado e selecionado para o circuito SESC EmCenaCatarina 2019 para circular 24 cidades do estado de Santa Catarina.

Em 2019 a companhia estreia o espetáculo "Romã", com dramaturgia de Louise de Lemos e direção de Victor Seixas e a contação de história "Miguel, o cavalivreiro do país Sem Nome contra o dragão Ignorâncio".

Além das obras supracitadas a companhia tem em seu repertório o espetáculo "Em um lugar chamado Lugar Nenhum" em parceria com a companhia carioca Raiz; a contação-oficina "Conta pra mim - por onde a criatividade escapa" com base no texto do livro "A Lenda do Rio Bernunça" de autoria de Samuel Paes de Luna; oficina "Trilha Sonora para Cenas" ministrada pelo compositor Rodrigo Fronza e com direção de Ana Cristina Gaebler, Thiago Becker e Samuel Paes de Luna; oficina de teatro "Solo Narrativo" ministrada por Thiago Becker; oficina Projetos e Produção Cultural ministrada por Ana Cristina Gaebler; oficina "Comunicação para Arte e Cultura" ministrada por Karoline Zambon; esquetes teatrais da dramaturga Agatha Duarte "Os Donos da Rua", "Salão de Festa das Bruxas" e "O Gato Persa", com atuação e direção de Ana Cristina Gaebler, Samuel Paes de Luna e Thiago Becker; além de intervenções artísticas com pernas-de-pau.

COBAIAS:

Samuel Paes de Luna

Ator, Diretor e Produtor

Samuel Paes de Luna, pernambucano, é ator, bailarino e produtor cultural. Formado na Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Pena/RJ, em 2012. Atualmente reside em Rio do Sul, onde participa da Cia Artística Cobaia Cênica de Teatro e trabalha como professor de teatro na Fundação Cultural da cidade. Neste ano de 2019, estreou a contação de histórias Miguel, o cavalivreiro do País Sem Nome contra o dragão Ignorâncio na Feira do Livro de Rio do Sul, na qual também lançou o livro A Lenda do Rio Bernunça, ambos de sua autoria e para o público infantil; Em um lugar chamado Lugar Nenhum em parceria entre Cobaia Cênica e Grupo Raiz e; a peça Romã. Circulou 24 cidades de Santa Catarina pelo EmCenaCatarina do SESC com o espetáculo o que só passarinho entende. Com esse mesmo trabalho participou da mostra de teatro Cena Rio do Sul Embaixo da Ponte; em Pernambuco nos SESC’s LER São Lourenço da Mata e Surubim; Teatro Hermilo Borba Filho no Recife; no Rio de Janeiro SESC’s Quitandinha e Niterói; Teatro SESI Firjan em Jacarepaguá; Teatro Armando Costa da Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Pena; em 2018 Festival Recife do Teatro Nacional e encerrando a Feira do Livro de Rio do Sul que contou com a participação do autor Marcelino Freire(SP) e Agatha Duarte(RJ). Com a versão leitura encenada do trabalho circulou quatro cidades do interior de Pernambuco (Vitória, Bezerros, Goiana, Escada e Bonito), além de diversas apresentações em unidades do Instituto Federal Catarinense, Biblioteca Nereu Ramos, feiras literárias de Presidente Getúlio/SC e Pouso Redondo/SC. Participa como ator convidado da Cia de Teatro da Fundação Cultural de Rio do Sul no espetáculo O Auto da Compadecida. Ministra a contação-oficina Conta pra mim? Por onde a criatividade escapa baseado no texto A Lenda do Rio Bernunça de sua autoria e oficina de teatro Brincantes. Participou do espetáculo Balé Ralé da Cia Teatro de Extremos/RJ, texto de Marcelino Freire e direção de Fabiano Freitas, que esteve em cartaz no ano de 2018 no SESC Copacabana/RJ e SESC Ipiranga/SP. Participou ainda de diversas montagens como Maia - A Lenda da Menina Água (Trupe do Experimento); Cidade das Donzelas (Troupp Pas D’Argent); Sopro e Nossos Espaços Vazios (Núcleo de Pesquisa Corporal em Dança para Atores); dentre outros. Em cinema, participou dos curtas Aqui Dentro dirigido por Gabriel Garcia (SC) e da websérie policial Sob Evidências do Coletivo Alô Produção(SC). Também foi elenco do curta Mais Uma Noite, da UFF e Rei de Mim da produtora Melé. Fez parte do elenco da websérie Bem Aventurados da Fundação Cesgranrio, disponível no canal do youtube. Na TV, participou das novelas Além do Horizonte, Salve Jorge, Velho Chico, A Lei do Amor, Malhação, Rock Story, Segundo Sol e da série Justiça da Rede Globo; O Rico e Lázaro, Belaventura e Jesus da Rede Record. Compôs o elenco da 2a Oficina de Atores para TV e Cinema da Fundação Cesgranrio.

Thiago Becker

Ator e Diretor

O ator e diretor teatral Thiago Becker iniciou sua carreira no ano de 2007, participando da companhia rio-sulense Trip Teatro, onde teve a oportunidade de viajar o Brasil pelo Projeto Palco Giratório (SESC). Mudou-se para o Rio de Janeiro em 2009 e formou-se pela Escola Técnica de Teatro Martins Pena, a escola mais antiga de formação de atores da América Latina. Participou de diversas montagens como A Vida é um Sonho de Calderon de la Barca, Boca de Ouro de Nelson Rodrigues, rINOCERONTEs de Eugene Ionesco, Tagarelando de dramaturgia própria, dentre outras. Voltou para Santa Catarina em 2016, onde foi contemplado com a montagem do espetáculo Benjamim, filho da  felicidade de dramaturgia própria e direção de Ricardo Rocha, que hoje integra o repertório do Cobaia Cênica. É diretor do espetáculo O que só passarinho entende que circulou no ano de 2019 pelo programa SESC EmCenaCatarina. Atua também nos espetáculos Romã e Miguel, o cavalivreiro do país Sem Nome contra o Dragão Ignorânico da Cia Artística Cobaia Cênica. É idealizador e coordenador do projeto de incubadora de cias de teatro em parceria com a Fundação Cultural de Rio do Sul, onde também ministra aulas de teatro.

Ana Cristina Gaebler

Atriz, Diretora e Produtora

Autou no mundo da dança por mais de 20 anos, e na cena desde 2009. No teatro, participou de montagens como: Ensaios Sobre a Vida, teatro de revista com direção e dramaturgia de Kaio Bergamim; A Lenda do Anel do Zorro, direção de Elisa Poletto, como dramaturga, atriz, auxiliar de direção e coreógrafa; Santo de Casa Não Faz Milagre, teatro musical como dramaturga, atriz, coreógrafa e diretora; entre outros. No ano de 2011 participou do projeto Saltimbancos, aprovado na III Jornada Latino Americana de Estudos Teatrais, como pesquisadora e atriz, coordenado por Kaio Gomes Bergamim. É dramaturga e diretora do espetáculo imPERFEIÇÃO. Atua nos esquetes Salão de Festa das Bruxas e O Gato Persa como atriz e Os Donos da Rua como diretora, ambas obras da dramaturga Agatha Duarte. Atua ainda no espetáculo O Auto da Compadecida da Cia de Teatro da Fundação Cultural como atriz convidada. Foi diretora de artes da Fundação Cultural de Rio do Sul (2016) e presidiu a Associação da Fundação Cultural de Rio do Sul de 2013 a 2017, além de atuar como conselheira de cultura da setorial de Artes Cênicas (2014-2015, 2017-atualidade) e Formação em Cultura (2016). Trabalha com produção cultural desde 2007 e ministra os cursos Produção Cultural e Concepção, Elaboração e Acompanhamento de Projetos Culturais.

Integra a companhia Cobaia Cênica desde a sua criação, no ano de 2010. Participou de diversas montagens destacando-se: Contos de Amor e Morte de Nelson Rodrigues e com direção de Kaio Bergamim, Santo de Casa Não Faz Milagres dramaturgia e direção de Ana Cristina Gaebler, dentre outros. Participou em 2011 como atriz e pesquisadora do projeto Saltimbancos, aprovado na III Jornada Latino Americana de Teatro. Tornou-se discente do Curso de Bacharelado de Artes Cênicas da Faculdade de Artes do Paraná (FAP) e formou-se em publicidade no ano de 2017 pela Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI). No ano de 2015 foi proponente do projeto imPERFEIÇÃO, a dança de uma vida, que contemplou a montagem do espetáculo de dramaturgia e direção de Ana Cristina Gaebler, e integra o repertório do Cobaia Cênica. Ministra curso Comunicação para Artistas.

Atriz e Publicitária

Karoline Zambon

Rodrigo Fronza

Compositor de Trilhas Sonoras

Músico e compositor, entrou para o mundo da cena para compor as trilhas sonoras dos espetáculos imPERFEIÇÃO (2015) e Benjamim, filho da felicidade (2016). No ano de 2016 foi contemplado pelo Prêmio Nodgi Pellizzetti de Incentivo à Cultura com a gravação em CD da trilha sonora do espetáculo imPERFEIÇÃO, Prêmio da Música. Para a Cobaia Cênica compôs ainda as trilhas sonoras dos espetáculos O que só passarinho entende, Romã e coordenou a criação das trilhas sonoras dos esquetes Os Donos da Rua, Salão de Festa das Bruxas e O Gato Persa como ministrante da oficina Trilha Sonora para Cenas. Compôs ainda trilha sonora dos espetáculos Kasperl e a cerveja do Papa (Trip Teatro) e Chapéu (atriz Sidineia Köpp).

© 2018 | Cobaia Cênica