ESPETÁCULOS

“O que só passarinho entende” é um espetáculo que traz, de maneira lúdica e poética, a singularidade de uma mulher que, apesar de marcada pelas intempéries da vida, carrega a convicção de que o real valor e beleza de sua existência estão no conhecimento empírico, diretamente ligado à natureza.

Benjamim traz ao palco a reflexão sobre a busca incessante da felicidade. É um recuo poético para olhar a cidade e suas agitações passageiras, uma tentativa de não deixar a felicidade atrelada a uma constante necessidade de leveza, mas aceitá-la como uma efeméride impossível de ser aprisionada numa tela.

Luísa é uma bailarina decadente que, em um momento crucial de sua existência, relembra sua vida buscando justificar suas decisões. Obstinada, sempre ultrapassou todos os limites para alcançar seu principal objetivo: a perfeição. Entre lembranças e devaneios, a personagem busca respostas para uma pergunta que não ousa fazer: depois de tudo, o que realmente importa?

Em um país sem nome, vazio de casas, escolas, igrejas, bibliotecas e livros, onde o idioma tinha um vocabulário reduzido a termos de trabalho apenas, havia um enorme dragão ignorante que escravizava as pessoas e as obrigava a satisfazerem as suas mais absurdas vontades. Até que um dia, o curioso e valente menino Miguel resolveu enfrentar o monstro com um "artefato" muito poderoso: o conhecimento.

"Em um lugar chamado Lugar Nenhum" é um romance com tintas poéticas que mistura fábula e realidade e se inspira na literatura de cordel. Na década de 1950, num longínquo vilarejo chamado Lugar Nenhum, a chegada do rádio, um moderno aparelho de comunicação da época, vira de ponta cabeça a vida de um casal que estava fadado a se conhecer, casar, trabalhar, ter filhos e só.

Dois atores sobem ao palco para contar histórias improváveis.A única coisa que as liga é um sentimento que eles sabem possuir, mas que é difícil de explicar.

Os atores se revezam em diferentes papéis para tentar viver junto ao público aquilo que é invisível mas pode ser compartilhado.
 

© 2018 | Cobaia Cênica