Projeto Quem Sabe Isso Quer Dizer Amor

Quem sabe isso quer dizer amor é uma peça-casamento, idealizada pelos atores Thiago Becker e Samuel Paes de Luna com o intuito de marcar um momento especial de sua relação, unindo arte e amor. Eles estão juntos há sete anos e decidiram celebrar essa união de maneira não convencional, utilizando o território de atuação que mais amam: o teatro. A peça realizará, a cada apresentação, o casamento dos dois, reafirmando o amor deles quantas vezes forem apresentadas.

Este projeto promove também um encontro artístico de amigos formandos da Escola Técnica de Teatro Martins Pena. A dramaturgia criada por Louise de Lemos e a direção proposta por Victor Seixas, ambos contemporâneos de Thiago e Samuel na escola.

Quem sabe isso quer dizer amor, quarta peça da Cia. Cobaia Cênica, produz pela primeira vez um espetáculo que trata de maneira poética e performática o amor e a diversidade. Acreditamos na importância do teatro e da arte de modo geral não apenas como entretenimento, mas como ferramenta de reflexão crítica e transformação social. Encaramos esse projeto como um desafio de extrema importância para a construção social, política e filosófica da nossa sociedade. Um passo curto, mas enormemente significativo, rumo a um mundo mais justo, igualitário, diverso e democrático.

Sabemos da importância de se falar sobre os pré-julgamentos que a sociedade tem sobre os LGBTQ's.

Mas antes de falar sobre uma classe, gostaríamos de envolver as pessoas com o sentimento mais quisto por todos: o amor.

As mais incríveis histórias que a humanidade conhece tem como temática principal o amor.

Os brasileiros, que têm a cultura diária de acompanhar a história de amor de vários casais, param todos os seus afazeres, para torcer pelo final feliz do mocinho e da mocinha no último capítulo da novela e poder assistir o seu tão aguardado casamento. O fato é que o povo brasileiro gosta do AMOR. O que falta é a compreensão sobre aquilo que lhe é diferente.

Quando se vê um casal da novela, o que vem de imediato na cabeça de uma boa parte das pessoas é o sentimento que esses personagens sentem um pelo outro. Mas quando se fala de um casal homossexual, as pessoas não pensam em outra coisa senão sexo, depravação e pecado. E onde foi parar o sentimento?

A homofobia mata um brasileiro a cada 19 horas, segundo dados do GGB (Grupo Gay da Bahia).

Na nossa região, falar sobre esse assunto é ainda mais complicado, devido ao conservadorismo exacerbado de muitos que vivem neste lugar.

Queremos contar a história de vários casais que sofrem esse preconceito de não serem vistos como "naturais".

Provar através da união de Thiago e Samuel e, sobretudo através da arte e do teatro que a força do amor está acima de qualquer categoria de raça, cor, credo e gênero. Está acima de qualquer pré-julgamento. Vamos além das formalidades que o teatro até então apresenta como linguagem, de forma geral, na nossa região.

Além de contar diversas histórias de amor, a peça-casamento realizará um ritual de celebração e união entre duas pessoas que por acaso são dois homens.

A peça trata o amor de forma universal, gerando identificação no público de todos os perfis. Mas por ser a história de amor entre dois homens, provocará representatividade ainda maior a comunidade LGBTQ.

Buscamos, a partir disso, promover um debate na cidade a respeito do amor e da diversidade, fortalecendo o movimento LGBTQ, minimizando sua condição de marginalidade e invisibilidade, abrindo a escuta e o olhar para essa parcela da população, dando oportunidade de estarem igualmente inseridos na sociedade.

A cidade de Rio do Sul (SC) possui uma população de 61 mil habitantes* e apesar da atuação expressiva na área cultural ainda é muito carente na produção local de teatro, possuindo apenas duas companhias profissionais. O proponente é ator rio-sulense, se formou na Escola Martins Penna no Rio de janeiro, escola de formação de atores mais antiga da América Latina e atuou em diversas peças e companhias cariocas. Voltou a morar em Rio do Sul com o objetivo de aumentar a produção teatral da cidade e auxiliar nos movimentos artísticos. O diretor do espetáculo Victor Seixas reside no Rio de Janeiro e a dramaturga Louise de Lemos, que reside em São Paulo, são prossionais qualicados para realizar um excelente trabalho. O

intercâmbio entre Rio de Janeiro/São Paulo/Rio do Sul é uma ótima oportunidade de troca de experiências entre os artistas deste projeto e demais artistas da cidade.

A apresentação prevista neste projeto será gratuita, democratizando o acesso a todas as pessoas, além de que será oferecida tradução em libras e o local da apresentação tem acesso para cadeirantes, promovendo acessibilidade em ambos os casos.

Um dos objetivos do Plano Estadual de Cultura é “Estimular a criação, a produção e a inovação das linguagens e processos artísticos”. O projeto concorda com este objetivo, buscando a pesquisa de linguagem da dramaturgia e da encenação.

As atividades propostas contribuem com a difusão e a fruição do teatro local, como forma de assumir compromisso com o desenvolvimento cultural municipal e com o cumprimento do

Plano Nacional de Cultura, principalmente com as metas 22 e 28, que tratam do aumento de municípios brasileiros com grupos artísticos, da valorização desses grupos, de formação de platéia e da fruição desses produtos culturais.

Em concordância com as diretrizes, estratégias e ações do Plano Nacional de Cultura, através da Lei N° 12.343 de 2010, o projeto “Quem sabe isso quer dizer amor” enfatiza a necessidade

de se integrar as políticas públicas de cultura destinadas ao segmento LGBT, sobretudo no que diz respeito à valorização da temática do combate à homofobia, promoção da cidadania

e afirmação de direitos.

É necessário se falar sobre os pré-julgamentos que a sociedade tem sobre os LGBTQ's. A homofobia mata um brasileiro a cada 19 horas, segundo dados do GGB**.

Na nossa região, falar sobre esse assunto ainda é muito polêmico, devido ao conservadorismo exacerbado de muitos que vivem neste local. A peça trata o amor de forma universal, gerando identificação no público de todos os perfis. Mas por ser a história de amor

entre dois homens, provocará um debate a respeito do amor e da diversidade, promovendo representatividade ao movimento LGBTQ. Deste modo, se fortalece essa comunidade, minimizando sua condição de marginalidade e invisibilidade, abrindo a escuta e o olhar para

essa parcela da população, dando oportunidade de estarem igualmente inseridos na sociedade.


* Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Censo 2010, população 61.198 habitantes.

**Dados do Grupo Gay da Bahia – 2017

Capa do Projeto

© 2018 | Cobaia Cênica